Absolvição

poesiaemfotografia874.jpeg

És o único culpado, por meu desejo obcecado. Faça de mim a testemunha do teu pecado, pois comigo hoje serás perdoado. 

 

6 comentários em “Absolvição”

  1. Poema I

    Rebentam estridentes as palavras escritas
    Como uma granada sem pino em percursor livre
    Sem medo da condenação
    Vivendo uma liberdade condicional imposta
    Por regras carregadas de pudor e temor a deus

    Há filosofias engalanadas de um amor supérfluo
    Sem essa fisicalidade dos corpos
    Que tantos chamam foder
    E foder é tão sublimemente humano
    Assim como fazer amor…
    Mas foder é sem dúvida estar vivo…

    Amo, amo como nunca amei
    Pacientemente…

    Nessa translúcida metáfora
    que é engalanar o orgasmo poético
    sentido pelo abraço literário…
    Foder é a arte suprema do gemido
    Onde a masturbação poética do fonema
    arranca-nos aplausos da alma…

    Literalmente poeta, filósofo da conjugação sexual
    Lambendo rimas e métricas,
    Até que no êxtase da alma nos falte o ar…

    Quanta filosofia vã essa a de que o amor é…
    Quando o amor se faz, também nas mãos…

    Alberto Cuddel

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s